quarta-feira, 20 de maio de 2009

Limpar ou não limpar... Que se lixe a questão!

Hoje pela manhã apercebi-me que andava a gastar muita água no duche. Percebi que tentar apagar pessoas e memórias da alma me andava a corromper a pele de tanto a esfregar e que o fazia tão furiosamente que acabava por esquecer que o mais importante para me manter jovem, fresca e hidratada era ter a capacidade de massajar cada momento e deixá-lo penetrar suavemente na pele para que pudesse acalmá-la e alimentá-la de lições e exemplos frutíferos para o futuro. O tempo e a água que desperdicei irritaram-me de tal forma a alma que lhe perdi a doçura e a maturidade. Por fim apercebo-me que se ali estão é porque num momento da minha história encheram as folhas do meu caderno de cores alegres. E porque o fizeram merecem um lugar em mim. Por isso decidi fazer um uso sustentável do banho: com menos água e mais carinho vou parar de tentar arrancar da pele as pessoas e memórias que estão tatuadas na minha pele. O melhor de tudo isto é que resultado salta à vista na primeira sessão e já sinto uma enorme leveza da qual não me quero mais separar.


Para banda sonora deste registo deixo-vos o meu adoradíssimo Antony, em jeito de homenagem à noite mágica vivida no passado sábado no Theatro Crirco (que ao que parece se repetiu em magia no Porto e em Lisboa).

6 comentários:

curse of millhaven disse...

quando é que o antony vem? quando quando? :)


mas amen a essas palavras!! sou completamente apologista da máxima de se as coisas aconteceram por alguma razão foi e retiras sempre algo positivo para a tua vidinha. ah e esfregar muito tb faz mal à pele, coitadita, q n merece tamanho sofrimento... ;P

*beijo!

curse of millhaven disse...

ps:devo ter comido as vírgulas todas do meu comentario anterior, balha-me deusssss que coisa tã mal escrita... ahaha

cultzone disse...

o antónio já veio ao coliseu há uns dias atrás, nao se fala de outra coisa!

sobre a pele, a alma, a aparência e a roupa do avesso, por aqui CULTivam-se o dentro e o fora... mas a luta é (também) feita porque, a dado momento, as vísceras começam a inchar, a corromper il core.. esconde-se o que vai na alma tanta vez, que a alma de tanta gente já tens mais de pele do que de espírito! Por mim falo..

Não sei se as coisas acontecem sempre por alguma razão, mas que podemos dar uma razão boa para os acontecimentos, podemos.

A água hidrata. O sabonete gasta.

(Parabéns pelo tasco. Pode então ser um duplo old parr sem gelo..)

Jane disse...

O quêa?!

Senhora Coisa disse...

por acaso... agora que falas...
tb demoro no banho por pensar de mais enquanto o tomo... perco noçao do tempo...
mas as pessoas nao saem como o surro. LOL

beijinho grande catraia :D

comboio turbulento disse...

vou fazer-te inveja: eu vi o Antony twice, em Braga e no Porto.